02
Out 11

Por onde começar? Dessa vez confesso pra vocês que eu fui mais a fundo do que a 1ª vez.

 

First - deixa-me perguntar. Quantos de vocês se viram perdidos no trágico fim que Castiel levou? Um personagem de suma importância pra o show arrancado tragicamente. Isso deixou meu coração em pedaços. De verdade. Como eu havia dito anteriormente, deve ser ainda pior para os fãs do Anjo, já que havia várias maneiras de tirá-lo da série, e a forma escolhida foi exatamente a menos agradável possível. Mas... Fazer o que. Nós rezaremos pelo nosso Anjo das Quintas-feiras pra sempre, não é? Vida eterna ao Cas!

 

Devo ressaltar que o pobre Sam já sofre de mais, não é mesmo? O Fandom Sam/Lucifer não podia estar mais incrível! É inevitável perceber que mesmo com tudo que o pequeno-grande Sammy passou no inferno, ele ainda parece um bebê que precisa de colo. De apoio. De alguém que o puxe de volta pra realidade, e é exatamente isso que Dean com aquele seu jeito, você sabe, Dean – tem feito. O jeito como ele cuida do irmão. E lá vamos nós sendo levados novamente pela história da família. E logo incentivados a perceber que o que Dean mais se empenha a fazer é primeiro salvar e depois pensar em ser salvado.

Levantem as mãos aqueles que não se emocionaram quando Dean segura a mão do irmão e diz que AQUILO que era real. -“This is real”- A melhor cena do fandom Sam/Dean desde o episódio de número 8 da 3ª temporada “A Very Supernatural Christmas”, onde Sam e Dean sentam no sofá e trocam –engraçados- presentes no último natal do mais velho. Cenas como essa transmitem sobre qual é o tema Rei de Supernatural. Não se trata apenas de monstros, demônios e anjos morrendo e o pós-apocalipse. Trata-se de como família é tudo o que importa.

E não se pode deixar de perceber que mesmo com toda essa história própria que nossa série favorita foi ganhando, ela está voltando ao arco principal da melhor maneira possível.

 

Meus parabéns a Ben Edlund e sua referência magnífica e correta dos Leviatãs. Monstros perversos da água e talvez os mais antigos da mitologia. Adaptados para se encaixar em Supernatural de tal maneira que parece que a história que é apresentada na série é a verdadeira. E como –segundo mitologia- Leviatãs podem também ser demônios, nada mais aceitável do que vê-los possuindo corpos e expulsando almas como eles têm feito no show.

Edlund tem escrito muito bem, e esse é um dos melhores episódios escritos!

 

Estou ansiosa para o que possa estar por vir já que visivelmente as coisas vão ficando cada vez mais estreitas e obscuras. Se seguir como eu tenho pensado, a minha teoria é que além dos Leviatãs eles incluam no show os Behemoth - também criaturas monstruosas que mitologicamente são Chefes dos Leviatãs e simbolizam a rebelião e a guerra civil – Porém Érika, isso é assunto para mais episódios á frente, e se a minha teoria se concretizar, não é mesmo? Mas seria bem interessante já que os Leviatãs parecem estar ás ordens de alguém. Essas ordens podem sim e podem não ser do Crowley, também... Eu concluo. Mas é muito cedo para palpitar sobre o assunto. Como eu disse, foi um episódio curioso que deixou a todos nós cheios de dúvidas.

Bobby sumido. Sam e seus devaneios com Lúcifer. Dean com seu espírito de Herói. E os irmãos sendo levados para o hospital onde se concentram seus maiores inimigos no momento. Como lidar? Então meus queridos, essas são perguntas que só o próximo episódio pode responder. ;)

 

Então eu fico por aqui! Sintam-se á vontade para falar!

E não se esqueçam, o próximo episódio 7.03 “The Girl Next Door” será o episódio dirigido por Jensen! Logo as expectativas estão a mil, não é mesmo? O que me faz pensar que a próxima resenha será 3 vezes maior do que essas.hahah

Eu prometo caprichar.

Até a próxima!

 

Por Érika Accioly

publicado por Erika Accioly às 18:52

comentários:
mais uma vez acertaste no alvo! parabens, beijinho :)
Veronica a 2 de Outubro de 2011 às 19:41

Awww *-*
Beijinhos! ;*
Erika Accioly a 4 de Outubro de 2011 às 00:47