09
Out 11

Levante as mãos se vocês, assim como eu, tirou um print screen do “Direct by Jensen Ackles”! \õ/

Nós fãs não poderíamos estar mais orgulhosos, uh? Devo contar-lhes: Essa review é um tanto quanto pessoal. Como eu poderia evitar, não é mesmo?

 

Ainda mantendo os Leviatãs no círculo principal, The Girl Next Door voltou ao “caseiro” e introduziu-nos nas memórias antigas de Sam.

Isso muito lembra-me da primeira temporada onde Sammy era apenas um adolescente “revoltado” que só queria uma vida normal e mesmo assim ainda seguia as regras da família.

E então, seguindo ordens de seu irmão mais velho em um trabalho, ele conhece a primeira garota de quem gosta realmente. Confesso que o lado emotivo de Sam sempre me derruba, um pouquinho. Hahah.

Brilhante criatura a kitsune, e Amy conseguia ser tão amável quando Sam! Sua decisão de não matá-la e de ver a si mesmo em seu lugar foi uma decisão que eu teria tomado. E quando ele pediu para que o irmão confiasse nele, eu senti cócegas ásperas no estômago. Por quê? São 6 anos estudando cada passo do carácter de Dean Winchester, e eu sabia fatalmente que ele havia mentido quando pareceu dar uma chance ao mais novo.

Julgando tudo que Dean tem passado, nem por um momento se pode condenar sua atitude fria –o que não se pode negar que foi- de matar Amy.

Há cerca de o que?  Um ou dois anos? Ele perdeu o irmão, encontrou-o de volta sem alma, passou por um cruel pós-apocalipse, abriu mão de Lisa e Ben e assistiu seu melhor amigo Castiel travar uma batalha fracassada e dramática.

 

Meus olhos marejaram. Pobre Dean. Suas piadas espontâneas são agora uma forma de escape, e não mais só porque ele é bem-humorado sempre. Assim como Sam lida com seu lado monstro, Dean lida com seu lado desastroso xingando e fazendo piada daquilo que ninguém mais ri.

E nós temos então um ponto crítico aqui: Com todos esses acontecimentos. Dean luta, mais não confia em Sam. Até porque, deveria? Já que seu irmão vem tendo alucinações com o tempo que esteve preso na jaula e anda por ai com Lúcifer no seu ombro esquerdo?

Não é difícil prever que podemos esperar problemas entre os irmãos em alguns episódios á frente quando Sam descobrir que o mais velho não cumpriu sua promessa de confiar nele.

 

Espero que Supernatural não me machuque mais do que já estou sendo machucada. Eu sofro demais com esses meninos! E eu queria estar no corpo de Bobby pra segurar em Dean como ele fez e lançar aquele olhar de que tudo vai ficar bem. E dizer a Sammy que ele não é uma aberração. Não é.

Esse foi um episódio dramático. Talvez um dos mais dramáticos no que se trata de “desenvolvimento dos personagens” - sim eles estão em constante desenvolvimento-. E com absoluta certeza deve ter sido por isso que houve aquelas pequenas piadas com Dean e seu vício em torta, ou quando ele estava assistindo um filme chamado “My Bloody Is Valentine”. ...Porque os escritores sempre arrumam um curioso jeito de nos fazer sorrir no meio da dramática escuridão de Supernatural.

 

Um episódio que vale lembrar, foi brilhantemente dirigido pelo nosso Rei Mr.Ackles! Mãos ao alto! Jensen parece estar cada vez melhor nas oportunidades que lhes é dada.

A fotografia esteve impecável, e eu diria que até Jim Beaver pareceu mais bonito e talentoso quadro-a-quadro! Eu gosto quando Jensen dirige. Sinto-me orgulhosa quando vejo um ídolo obter sucesso em algo novo. E da mesma maneira que é um desafio pra ele, assim é pra mim. Que ele dirija mais e mais episódios! – Embora eu ache ele bonito e talentoso demais pra ficar escondido atrás das câmeras – Em minha opinião ele deve permanecer á frente delas.

E mais uma vez eu estou animada e curiosa para o que vem a seguir! Até porque meus queridos, “Expectativas” é o segundo nome de Supernatural.

Nós encontramos no próximo episódio, 7.04 "Defending Your Life" onde Dean vai ser flexionado até o ponto máximo. Eu estou preparada, e vocês?

 

Por Érika Accioly

publicado por Erika Accioly às 17:14