08
Dez 11

Primeiramente eu gostaria de agradecer por ter esse espaço para poder expressar minhas opiniões e sentimentos em relação a essa série que, sinceramente, mexe comigo que tal modo que ás vezes nem eu mesma sei como por em palavras. E por segundo, essa review poderá ter Spoilers. ;) Então vamos ao que interessa!

 

 

Para um último episódio antes do Hellhiatus de natal, Death’s Door (7.10) foi realmente de tirar o fôlego! E fez com que qualquer fã – que conhece Bob desde sua primeira vez introduzido na série, – chorar.

O prêmio de melhor atuação da noite deve ser merecidamente entregue á Jim Beaver por seu ardiloso e impecável desempenho esta noite. – Aplausos!

Todavia, em uma das reviews anteriores eu havia argumentado sobre Bob e seu efeito na vida dos meninos, mas agora o tópico se inverte.

#Qual o efeito dos Winchesters na vida de Bob Singer.

Apenas uma palavra: Tudo.

Sam e Dean foram criados por Bob, na verdade. E toda a sua escolha foi continuar por causa desses irmãos. Ele lhes ensinou quase tudo.

Foi ótimo e bastante instrutivo para nós descobrirmos mais da vida e dos traumas de Bob.

Que por obra do destino adotou dois meninos e eles cresceram muito bem. Eles cresceram heróis. – Foi de dar arrepios, não?

Eu gosto quando Supernatural consegue contar sobre seu drama familiar com toques únicos que fazem toda a diferença para qualquer outra série.

 

Para ser sincera, é inevitável eu conseguir escrever algo conclusivo nesta Review. Exatamente pelo fato de o episódio não ter sido concluído. Mas baseado em todo o carácter do personagem, eu acabei colocando meu coração em uma balança.

50% da minha razão e emoção estão entre as chances de Bob escolher ficar e achar uma maneira plausível de não permanecer neste plano como um fantasma. Até porque ele como um experiente caçador jamais iria querer que seu assunto inacabado fosse os meninos, que por ventura teriam que caçá-lo algum dia.

E nos outros 50% eu divido minha razão com a básica moral do personagem. Bob já teria feito o bastante pra deixa-los e ir? Seguir em frente com paz guardando apenas as boas lembranças?

Digo á vocês que não sei. Mas continuo com o mesmo conceito de que TUDO quando se trata de Supernatural é possível. E nem tudo permanece morto. ;)

 

Mais uma dose de ansiedade foi acrescentada a minha curiosidade sobre a destruição dos Leviatãs agora que Sam e Dean foram pressionados contra a parede pelo risco de vida da pessoa que mais vale para eles.

Podemos ver que algo muito bem bolado vai sair dessa relação de ódio entre os Winchester e Leviatãs á partir da reação impaciente de Dean. Continuo achando que esse é um círculo que além de interessante é muito inteligente. E que pra variar faz a nós e todo o Fandon sofrer.

Mas como disse o filósofo Kahil Gibran “Do sofrimento, emergem as almas mais fortes. Os personagens mais impressionantes estão coalhados de cicatrizes.”

 

Obrigada e nos vemos de novo em 6 de Janeiro! 7.11 - Adventures in Babysitting.

Até lá, que tal uma boa maratona, uh?

 

Por Érika Accioly

 

publicado por Erika Accioly às 01:51